reação na almt

Botelho detona rei da soja e defende taxação diferenciada a barões do agro

Publicados

em

Política MT
O deputado estadual, e primeiro secretário da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM) falou sobre concessão de ferrovias e industrialização na Baixada Cuiabana, durante entrevista à Rádio Capital FM, na manhã desta terça-feira (20), onde criticou firmemente a ‘ambição descomunal’ do produtor Eraí Maggi Scheffer, o ‘rei da soja’, e ainda defendeu ‘taxação diferenciada’ para produtores com ‘excessos’.

Primo do ex-senador Blairo Maggi, Eraí é apontando por ser contra a adesão de ferrovias em Mato Grosso, inclusive, contra a Ferrogrão, que deverá ser um avanço para o escoamento dos produtos do agronegócio do Estado e que vai ligar Sinop a Miritituba (PA), numa concessão de 9 anos.

Um dos motivos que o empresário teria para se opor às ferrovias no Estado são as centenas de carretas e o poder rodoviário que tem nas mãos.

Botelho começou explicando que sempre foi a favor de ferrovias no Estado e que esse fato alavancaria a industrialização da Capital e toda a Baixada Cuiabana, o que contribuiria para geração de emprego, renda e ainda baratearia o transporte de produtos.

O deputado ressaltou que a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) votou uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), em outubro de 2020, aprovada em primeira sessão com 22 votos, que trata do processo de exploração das malhas ferroviárias pelo Estado.

Leia Também:  Fragilizado, Bolsonaro prepara reforma ministerial com líder do centrão na Casa Civil e recriação do Trabalho

“À época dessa PEC muitos foram contra e disseram que não podia, inclusive, recebemos até ligação do Ministério dizendo que era ilegal. A Assembleia de Minas Gerais entrou em contato pedindo cópia da PEC. Encaminhamos para eles e fizeram lá. O governador Zema já fez concessão de ferrovia lá. Saímos na vanguarda, fomos pioneiros. Fizemos o estudo de o porquê o Estado pode dar concessão de rodovia, hidrovia e por que não de ferrovia se for só dentro do Estado? Abrimos a porta para o governador Mauro Mendes, que já estava até atrasada”, disse o deputado.

Sobre o ‘Rei da Soja’, Botelho foi enfático ao afirmar que o empresário não tem nada contra Mato Grosso, porém, quer que MT continue “sendo esse lugar que ele trabalha, ganhar dinheiro e todo mundo fique submisso a ele, faz o que quer”.

Botelho ressaltou o poder que Eraí concentra nas mãos, já que hoje ele é o maior produtor de soja, algodão, milho, carne, pescado, maior transportadora, maior produtor de energia, e a concorrência desleal com produtores muito menores. Deputado colocou o empresário como ‘predador’ e destacou a ambição do agricultor.

“Daqui a pouco vai ser o maior borracheiro também, porque até borracharia vai ser dele. É isso que ele quer, tomar conta e que nós fiquemos aqui respondendo amém e pedindo as sobrinhas. Vamos entender que esses barões não pagam imposto e que continuar assim. É uma ambição descomunal e é aí que eu defendo que o Estado tem que agir. Tem que haver taxação para aqueles que têm esses excessos. Não existe país no mundo onde uma pessoa só pode plantar mais de 500 mil hectares. Ele não pode pagar o mesmo imposto do produtor pequeno que planta oitocentos, mil ou dois mil hectares, é essa a diferenciação. O custo para ele se torna mais barato, as coisas ficam mais fáceis. Essa concorrência é desleal e ele se torna um predador”, destacou.

Leia Também:  AL aprova plano de estímulo à tecnologia 5G em MT

Em seguida, Botelho fez um comparativo e apontou que a quantidade de terras exploradas por Eraí, quase 600 mil hectares, equivale ao território de um país e reforçou uma ‘taxação’ diferenciada para que tem esses ‘excessos’.

“Não existe país no mundo onde uma pessoa só pode plantar mais de 500 mil hectares. Isso é um país, equivale a um país. A Holanda, por exemplo, tem cerca de 800 mil hectares e ele tá plantando 580, 600 mil hectares de soja, de algodão. Não somos contra, mas tem que haver uma taxação diferente”, completou Botelho.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA MT

Dr. Eugênio destina R$ 16 milhões para o Vale do Araguaia

Publicados

em


Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

O Vale do Araguaia tem um legítimo representante, Dr. Eugênio de Paiva (PSB), o deputado do Araguaia. Dr. Eugênio é o primeiro parlamentar na história da Assembleia Legislativa a focar 100% da atuação para a região que o lhe confiou o mandato, por conhecer com propriedade a realidade dos 34 municípios que integram a região.

 Sua atuação é matematicamente comprovada, com recursos na ordem de R$ 6.552.805,07 destinados para todo Araguaia no ano de 2020 somados a outros R$ 7.166.381,25 somente nestes primeiros meses de 2021, abrangendo todas as áreas de desenvolvimento socioeconômico.

 Além desses valores, também foram destinados por Dr. Eugênio, no último ano, R$ 1 milhão para intensificar as ações da saúde indígena (Parque Nacional do Xingu) e, recentemente, mais R$ 1 milhão para o custeio do Hospital Regional Paulo Alemão, que atende mais de 200 mil habitantes do médio-araguaia.

 Para tanto, o parlamentar já percorreu mais de 50 mil quilômetros, passando mais de uma vez, cidade por cidade, conversando não só com as autoridades locais, mas com a população.

 “Mato Grosso é um celeiro produtivo que já conta com regiões muito estruturadas, tanto do ponto de vista econômico como de organização social. Realidade muito diferente do nosso Araguaia, formado por pessoas batalhadoras, com potencial produtivo gigantesco, que já se destaca nacionalmente pelas belezas naturais, mas que ainda carece do básico, como água, luz, telefonia e estradas trafegáveis, em muitas das suas localidades”, ponderou Dr. Eugênio, que não tem medido esforços para combater as desigualdades regionais que afetam diretamente o Araguaia e sua gente.

Leia Também:  Contra medidas de isolamento e lockdowns pelo país, Bolsonaro volta a dizer a seguidores em Brasília que por ele "nada fecha"

 ATIVIDADE PARLAMENTAR

À frente da Comissão Especial de Zoneamento Socioeconômico Ecológico (ZSEE) da Assembleia Legislativa, o deputado tem atuado de forma democrática, buscando envolver todos os segmentos representativos na proposta desenvolvida pelo governo do estado, por meio da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag). O objetivo desse trabalho, que está em plena atividade no Parlamento estadual, é ampliar o debate dando voz àqueles que podem ser mais afetados.

“É fato que essa proposta de zoneamento, da forma como foi apresentada pelo governo, precisa ser revista. Ela está fora de cogitação, distante da nossa realidade. Definitivamente não nos representa, muito pelo contrário, só prejudica os pequenos. Por essa razão, estamos ampliando o debate, saindo do Centro Político Administrativo e ouvindo as bases que serão afetadas. Seguimos trabalhando por um Mato Grosso de oportunidades para todos!”, adiantou o presidente da comissão especial.  

Líder do Bloco Parlamentar Unidos da Assembleia Legislativa pelo terceiro ano consecutivo, Dr. Eugênio também tem se debruçado no desenvolvimento de projetos de leis voltadas às demandas da população. Já são 12 leis sancionadas a favor da sociedade, mais de 300 indicações originárias das bases para melhoria dos 34 municípios que integram o Araguaia.

Leia Também:  Em reunião por videoconferência, Xi Jinping e Putin propõem relacionamento internacional de novo tipo

 “Somos o Vale da Prosperidade [Araguaia] e nosso trabalho precisa ser à altura do que nossa região precisa e merece. Comprometimento, trabalho e honestidade são palavras de ordem nas nossas ações diárias. Todos os recursos obtidos são única e exclusivamente para investimentos na nossa região, tendo como principais pilares a saúde, infraestrutura e o fomento ao turismo da nossa deslumbrante região”, finalizou Dr. Eugênio. 

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA